domingo, 28 de fevereiro de 2010

GEO - 8º ANO

ROTEIRO DE QUESTÕES - CORREÇÃO
REGIONALIZAÇÃO MUNDIAL

01. Por que é importante dividir em regiões os vários continentes do planeta ?

Dividir ou regionalizar o planeta facilita entender de forma detalhada a realidade de cada região ou continente do mundo, destacando sua diversidade cultural, étnica, física, econômica entre outras características.

02. Explique:

A) geopolítica: Geopolítica é o termo empregado para as estratégias e ações tomadas pelo Estado em relação ao território e à sua área de influência tanto dentro quanto fora do país.


B) Eurásia: Grande bloco continental do ponto de vista físico(geológico), no qual está localizado o continente europeu e o asiático.

C) Continente: Os continentes são grandes extensões de terras emersas limitadas pelas águas dos mares e , oceanos.

D) Capitalismo: Sistema político e econômico caracterizado pela propriedade privada dos meios de produção, pela lei de mercado (oferta e procura) e pelo lucro, objetivo principal deste sistema.

E) Socialismo: Sistema político e econômico baseado na propriedade pública ou coletiva dos meios de produção que visa a distribuição justa de bens, caracterizando a igualdade de oportunidades para todos os indivíduos.

F) Ordem Bipolar: Após a segunda guerra até a queda do muro de Berlim em 1989 o mundo apresenta-se dividido entre os socialista e os capitalistas, é por isso deu-se uma grande disputa ideológica entre os E.U.A (Estados Unidos) e U.R.S.S (União Soviética) , este período também é conhecido como GUERRA FRIA

G) Ordem Multipolar: Com o fim da Bipolaridade o planeta passou a ser influenciado por três grandes centros econômicos, Japão, União Européia e E.U.A este equilíbrio de poder passou a chamar-se multipolaridade.

03. Há vários critérios usados para regionalizar o nosso planeta e baseado neles responda as questões a seguir:

A) Em relação à distribuição dos países, como está regionalizado o nosso planeta?

Está organizado em seis continentes: África, Ásia, América, Europa, Oceania e Antártica.

B) Tendo como base a divisão histórico-geográfica, como está dividido o nosso planeta?

Velho Mundo, formado pela Europa, Ásia e África (área de ocupação mais antiga);

Novo Mundo, formado pela América;

Novíssimo Mundo, Formado pela Oceania.

C) Considerando o nível de desenvolvimento socioeconômico, como se divido o planeta?

Primeiro Mundo: Formados pelos países capitalistas ricos.

Segundo Mundo: Formados pelos países Socialista.

Terceiro Mundo: Formados pelos países capitalistas pobres.

04.Explique o que foi a guerra fria.

Foi uma disputa ideológica entre os capitalista – E.U.A e os socialista – U.R.S.S, que ocorreu entre final da Segunda Guerra Mundial (1945) e a extinção da União Soviética (1991). É chamada "fria" porque não houve uma guerra propriamente dita, existiram apenas ameaças, pois os dois países detinham imenso arsenal nuclear.

05. A divisão mundial em países do norte e países do sul não segue os limites da linha do equador, por que?

Pelo fato de esta regionalização não leva em conta a divisão física do planeta, pela linha do Equador e sim pelo desenvolvimento econômico e social do grupo de países.

06. Qual é o conceito de país subdesenvolvido e de país desenvolvido?

Países desenvolvidos: são os que apresentam elevada industrialização e desenvolvimento técnico e científico.

Países subdesenvolvidos: são aqueles que possuem industrialização tardia e dependente. Esses países apresentam reduzido desenvolvimento científico, tecnológico e socioeconômico.

07. Explique o que é um pais emergente e cite cinco deles.

São os países que têm intensificado a sua industrialização e investido em tecnologia são chamados de países em desenvolvimento ou emergentes. São eles: Brasil, México, Argentina, Chile, África do Sul, índia, Malásia, China,

08. Em relação à pobreza dos países subdesenvolvidos, cite os principais motivos que os deixam na atual condição miserável.

Exploração histórica realizada pelos países ricos, governos corruptos, má distribuição de renda, políticas públicas inadequadas, grande dívida externa, entre outros.


OBS: A QUESTÃO Nº 09, SERÁ DEBATIDA EM SALA.

Perguntas e respostas sobre o terremoto no Chile

Forte tremor de magnitude 8,8 ocorreu às 3h34 da madrugada. Número de mortos chega a 147, segundo órgão de emergência.

O terremoto no Chile foi mais forte do que o no Haiti?

Sim. De acordo com o Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o terremoto que atingiu a costa do Chile às 3h34 (no horário local e no Horário de Brasília) atingiu 8,8 graus de magnitude, contra 7,0 do tremor ocorrido no Haiti em 12 de janeiro (às 16h53 no horário local, 19h53 no Horário Brasileiro de Verão).
Mas porque o número de vítimas no Chile foi bem menor que no Haiti, onde mais de 230 mil pessoas morreram? A diferença na destruição e no número de mortes se deve a três fatores.

Em primeiro lugar, o epicentro do terremoto chileno foi no mar, a 115 km de Concepción e 325 km de Santiago. O haitano ocorreu em terra, a apenas 25 km de Porto Príncipe.

Em segundo lugar, o terremoto haitiano ocorreu mais perto da superfície, a 13 km de profundidade, contra 35 km do tremor no Chile. Quanto mais profundo o terremoto, menor seu poder destrutivo.

E, finalmente, há a diferença de infraestrutura. O Chile, que está no chamado "círculo de fogo", é um local mais preparado para a ocorrência de terremotos, frequentes na região. Além disso, o país é mais rico que o Haiti, uma das nações mais pobres do planeta.

Qual foi o terremoto mais forte da história do Chile?

O terremoto mais forte ocorrido o no país sulamericano é também o mais forte já registrado em todo o mundo. No dia 22 de maio de 1960, um sismo na região de Valdivia atingiu 9,5 graus de magnitude. No Chile e nas Filipinas, o número de mortos ficou entre 3 mil e 6 mil.

O terremoto mais mortal, no entanto, ocorreu no dia 24 de janeiro de 1939. As estimativas oficiais do governo chileno apontam 30 mil mortos, mas há relatos de que até 50 mil pessoas tenham perdido a vida no incidente.

Por que o terremoto foi sentido no Brasil?

A energia liberada no epicentro de um terremoto é dissipada pelos oceanos e pelas placas tectônicas. As ondas vão perdendo força à medida em que se distanciam do local onde ocorreu o terremoto.
Em tremores muito fortes, no entanto, elas são capazes de "viajar" milhares de quilômetros, provocando reflexos em áreas distantes do epicentro. O terremoto do Chile pode, portanto, ser sentido por alguns moradores de áreas mais altas de São Paulo - onde a amplitude do tremor é maior -, cidade localizada a aproximadamente 2.850 km do ponto de início do terremoto.

Como os prédios resistem a terremotos?

Há basicamente duas técnicas utilizadas para construir prédios mais resistentes a terremotos. Na mais comum, são empregados materiais mais leves e flexíveis, capazes de "acompanhar" o movimento dos terremotos sem rachar.
A outra consiste em utilizar pêndulos que se funcionam como um contrapeso em caso de movimento provocado por abalos sísmicos, reduzindo o tremor no edifício.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1508558-5602,00- ERGUNTAS+E+RESPOSTAS+SOBRE+O+TERREMOTO+NO+CHILE.html

OS TERREMOTOS OU SÍSMOS

A parte sólida e mais externa do nosso planeta é a Crosta ou Litosfera. Ela está dividida em partes chamadas de placas tectônicas. Essas placas se movimentam de forma lenta, gerando um processo contínuo de esforço e deformação nas grandes massas da rocha (placas tectônicas). Durante este processo acumula-se energia e quando o limite de resistência da rocha é ultrapassado, esta energia é liberada sobre forma de ondas (ondas sísmicas) e tais ondas podem se espalhar em todas as direções, fazendo a terra vibrar intensamente, causando os terremotos.

Sismo ou terremoto, é um fenômeno natural que provoca vibração intensa e passageira na superfície Terrestre. A grande ocorrência dos terremotos é registrada nas regiões de encontro das placas tectônicas ou falhas geológicas. Estes eventos geológicos são medidos por uma escala chamada de Richter (criada a mais de 70 anos pelos norte americanos Charles Richter e Bueno Gutenberg)

Um terremoto de menos de 3,5 graus só é sentido pelos sismógrafos. Outro entre 3,5 e 5,4 já pode produzir danos e aquele que ocorre entre 5,5 e 6 graus, provoca danos pequenos em algumas edificações menores. O que apresenta intensidade entre 6,1 e 6,9, pode ser devastador numa zona de 100 km. O sismo que ocorre entre 7,0 e 7,9 pode causar sérios danos numa grande superfície. Os terremotos acima de 8,0, são menos freqüentes e provocam grandes danos em regiões localizadas a várias centenas de quilômetros do epicentro.

Atualmente existem 12 placas principais e as mesmas podem se subdividir em placas menores. Elas são: Placa Eurasiática, Placa Indo-Australiana, Placa Filipina, Placa dos Cocos, Placa do Pacífico, Placa Norte-Americana, Placa Arábica, Placa de Nazca, Placa Sul-Americana, Placa Africana, Placa Antártica e Placa Caribeana ou do Caribe.
Recentemente ocorreram dois importantes terremotos, um no Haiti em 12 de janeiro e outro no Chile na madrugada deste sábado dia 27 de Fevereiro. O Haiti esta localizado na região de falha geológica existente entre a placa do Caribe e a Placa Norte-Americana, enquanto o Chile localiza-se em uma falha geológica muito ativa entre as placas de Nazca e a placa Sul-Americana, nesta região de falha, quando um sismo ocorre no mar pode gerar Tsunamis (ondas gigantes), como as que foram registradas no Havaí e no arquipélago na Polinésia Francesa


Sismógrafos: Os aparelhos destinados ao registro dos terremotos, denominados sismógrafos.
Magnitude é uma medida quantitativa do tamanho do terremoto, está relacionada a quantidade de energia liberada pelo terremoto.

Intensidade sísmica: É uma medida qualitativa que descreve os efeitos produzidos pelos terremotos em locais da superfície terrestre.

Epicentro de um terremoto: É o ponto na superfície da Terra diretamente acima do foco ou hipocentro é a zona mais afetada por um abalo sísmico. Se o terremoto ocorrer no mar ou em zonas desabitadas e o sismo não provoca estragos.

Placas Tectônicas: São partes da crosta terrestre (litosfera), que se movimentam, ora colidindo uma com a outra ( convergência), ora separando-se uma da outra (divergência) e ora movimentando-se paralelamente uma em relação a outra(transformante).

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

CONCEITOS POPULACIONAIS

CONCEITOS POPULACIONAIS

População absoluta: Corresponde a população total de um determinado local. Quando um local tem uma população absoluta numerosa, dizemos que ele é populoso

Densidade demográfica ou população relativa: Corresponde a média de habitantes por quilômetros quadrados. Para obtê-la deve –se dividir a população absoluta pela área.

Taxa de mortalidade: corresponde a relação entre o número de óbitos ocorridos em um ano e a população absoluta, o resultado é expresso por mil.
TM = N.º de óbitos X 1000 / População absoluta

Taxa de natalidade: corresponde a relação entre o número de nascimentos ocorridos em um ano e a população absoluta, o resultado é expresso por mil.
TN = N.º de nascimentos X 1000/População absoluta

Crescimento vegetativo ou natural: corresponde a diferença entre a taxa de natalidade e a taxa de mortalidade.

C.V = TN – TM

O crescimento vegetativo não corresponde a única forma possível de crescimento ou redução da população mundial, deve se considerar as migrações.

Taxa de fecundidade: corresponde a média de filhos por mulher na idade de reprodução. (15 a 45 anos)

Taxa de mortalidade infantil: corresponde ao número de crianças de 0 à 1 ano que morrem para cada grupo de mil nascidas vivas.

Expectativa de vida: É quantidade de anos que vive em média a população. É um indicador muito utilizado para verificar o nível de desenvolvimento dos países.

Migração: É o deslocamento de uma quantidade importante de seres humanos.pode ser permanente ou temporário.

Emigração: é a saída da população de uma área. Imigração: é a entrada da população em uma área. Para que exista migração deve haver o fator de atração e o Fator de repulsão.

Xenofobia – Constitui-se em uma aversão ou medo ao que é estrangeiro.

Obs: Xenofobia é uma palavra de origem grega que significa antipatia ou aversão a pessoas e objetos estranhos. O termo tem várias aplicações e usos, o que muitas vezes provoca confusões em relação ao significado. A xenofobia como preconceito acontece quando há aversão em relação à raça, cultura, opção sexual, etc.
Fonte - http://www.brasilescola.com/doencas/xenofobia.htm

Êxodo rural: É a transferência da população rural para o espaço urbano. Esse tipo de migração em geral tende a ser definitivo. É Causasada pela industrialização, a expansão do setor terciário e a mecanização da agricultura.

Êxodo urbano: tipo de migração que se dá com a transferência de populações urbanas para o espaço rural.

Migração urbano-urbano: tipo de migração, que se dá com a transferência de populações de uma cidade para outra. Tipo de migração muito comum nos dias atuais.

PIRÂMIDE ETÁRIA:
É um gráfico populacional que leva em consideração a estrutura sexual da população ( homens e mulheres ) e as faixas etárias

BASE - a porção inferior -, que representa a população jovem (de O a 14 anos ou de O a 19 anos);
CORPO - a porção intermediária , que representa a população adulta (de 15 a 59 anos ou de 20 a 59 anos);
CUME, ÁPICE OU PICO - a porção superior-. que representa a população idosa ou velha (igual a 60 anos ou mais). Veja imagem no final do Artigo

















FASES DO CRESCIMENTO DEMOGRÁFICO

Primeira fase: caracterizada por elevadas taxas De natalidade e mortalidade, originando baixo crescimento populacional. O Brasil passou essa fase no início do século XX.

Segunda fase: caracterizada por elevadas taxas de natalidade e declínio das taxas de mortalidade, gerando elevado crescimento populacional. É a transição demográfica propriamente dita, que antecede a última Os países desenvolvidos concluíram essa fase nas primeiras décadas do século XX. O Brasil atingiu o auge dessa fase na década de 50, quando as taxas de crescimento populacional se aproximaram de 3% ao ano.

Terceira fase: caracterizada por baixas taxas de natalidade e de mortalidade, Gera baixíssimo crescimento populacional, estagnação e até mesmo taxas negativas de crescimento.
O Brasil só deverá ingressar nessa fase no início do século XXI. por volta do ano 2030, o Brasil estará completando o seu ciclo demográfico. A queda na taxa de FECUNDIDADE é uma das principais características da transição demográfica brasileira.

TEORIAS DEMOGRÁFICAS

TEORIA MALTHUSIANA

Exposta em 1798, foi a primeira teoria demográfica de grande impacto e até hoje a mais popular de todas, apesar das falhas que apresenta.
Os problemas sócio-econômicos (desemprego, fome, êxodo rural, rápido aumento populacional) decorrentes da Revolução Industrial e que afetavam seriamente a Inglaterra, provocou o surgimento desta teoria demográfico.
A principal causa dos problemas que afetavam a INGLATERRA era o grande crescimento populacional, especialmente dos mais pobres
A solução estaria no controle da natalidade, que deveria basear-se na sujeição moral do homem (casamento tardios, abstinência sexual, etc.). Sua tarefa é, portanto, nitidamente ANTINATALISTA e conservadora.

PRINCÍPIOS DA TEORIA MALTHUSIANA

Caso não seja detida por obstáculos (guerras, epidemias, etc.), a população tende a crescer segundo uma progressão geométrica (PG), A produção de alimentos em rítimo de uma progressão aritimétrica (PA).
A fome e a miséria eram resultantes do elevado crescimento populacional. A solução, portanto, estava no controle da natalidade.

OS NEOMALTHUSIANOS

No pós-Segunda Guerra Mundial, as taxas de crescimento demográfico foram muito elevadas no Terceiro Mundo, Surgiu uma situação de grande fome e miséria, ressuscitaram as idéias de Malthus. Os neomalthusianos, passam a responsabilizar o subdesenvolvimento subdesenvolvidos e o elevado crescimento demográfico como os culpados pelo referido quadro de horror.
Para os neomalthusianos a solução estava na implantação de políticas oficiais de controle de natalidade mediante o emprego de pílulas anticoncepcionais, abortos, laqueadura das trompas, vasectomia, etc. Apesar de vários países terem adotados essas medidas, a situação de fome e miséria continua existindo.

OS REFORMISTAS OU MARXISTAS

Os reformistas admitem que a situação de pobreza e o subdesenvolvimento é provocada pelo excessivo crescimento demográfico e conseqüente estado de miséria. Diante disso, os reformistas defendem a adoção de profundas reformas sociais e econômicas para superar os graves problemas do Terceiro Mundo. A redução do crescimento viria como conseqüência de tais reformas.




9º ANO ROTEIRO QUESTÕES CAP. 11