segunda-feira, 13 de outubro de 2014

CLIMA E VEGETAÇÃO DO BRASIL


CLIMA

CLIMOGRAMA: É o gráficos que representam a variação da quantidade de chuvas e a variação da temperatura no período de 1 ano. Um climograma representa as temperaturas (em graus) e as precipitações (chuvas em mm) para cada mês do ano;
DIFERENCIE TEMPO E CLIMA:
Tempo: É a ação momentânea da atmosfera em um determinado lugar por um certo período.
Clima: É a Sucessão habitual dos tipos de tempo

OS TIPOS DE CLIMA E AS MASSAS DE AR QUE ATUAM NO BRASIL:
Climas:

Equatorial Úmido;
Tropical Semi-árido;
Tropical Litorâneo Úmido,
Subtropical Úmido;
Tropical ou Tropical Continental;
Tropical de Altitude.

Massas de Ar:

mPa: Massa de ar polar Atlântica
Esta massa de ar é fria e úmida, nasce na Patagônia próximo da Antártida e age principalmente na região Sul do Brasil durante o inverno.

mTc: Massa de ar tropical Continental
Esta massa de ar é quente e seca e nasce na região do Chaco, fronteira entre Paraguai, Bolivia, Argentina e Brasil ( sul do Pantanal).

mTa: Massa de ar tropical Atlântica
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce sobre o Oceano Atlântico e influencia o litoral e no interior brasileiro.

mEa: Massa de ar equatorial Atlântica
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce sobre o Oceano Atlântico Norte, age sobre o litoral da Amazônia e do estado do Maranhão.

mEc: Massa de ar Equatorial Continental.
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce no sul da Amazônia e durante o verão atua em grande parte do território brasileiro.

AMPLITUDE TÉRMICA: É a diferença entre a maior temperatura e a menor temperatura em um período e pode ser  em um dia, uma semana, um mês, etc.

ÍNDICE PLUVIOMÉTRICO: Este índice também é chamado de pluviosidade e mede a quantidade de chuva (precipitação) que cai em uma área em certo período.

MOTIVOS QUE PROMOVEM A VARIEDADE CLIMÁTICA DO BRASIL:
- O extenso território;
- Diversidade de formas de relevo,
- A altitude e a dinâmica das correntes e massas de ar;
- O Brasil é cortado pela Linha do Equador (Norte) e o Trópico de Capricórnio (Sul);
- Está situada, a maior parte do território, na Zona Intertropical, onde predominam climas quentes e úmidos, com temperaturas médias em torno de 20°C;

O CLIMA EQUATORIAL:
- Este clima é úmido e apresenta temperaturas elevadas;
- A grande umidade promove a grande quantidade de rios caudalosos nesta região;
- Há ocorrência da evapotranspiração da cobertura florestal amazônica, isto é, a transpiração da vegetação;
- É um clima úmido e quente é marcada pela baixa  amplitude térmica;
- As médias anuais da temperatura variam entre 24°C e 27°C;
-  As médias pluviométricas são altas superiores a 2 500 mm anuais;
- A estação seca é curta;
- É uma região de calmaria, devido ao encontro dos alísios do Hemisfério Norte com os do Sul;
- O principal tipo de chuvas é o de convecção.

CLIMA TROPICAL SEMIÁRIDO
- As temperaturas médias são superiores a 20°C.
- A principal característica desse tipo de clima é a baixa pluviosidade;
- As médias pluviométricas anuais são inferiores a 1 000 mm.
- O clima tropical semiárido abrange o Sertão Nordestino, área de ocorrência do bioma da Caatinga nos estados do CE, parte do RN, PB, PE, SE. AL, BA, sul e leste do PI e extremo norte de MG.
-  Os solos dessa área são rasos e pedregosos.

CLIMA TROPICAL LITORÂNEO ÚMIDO
- Abrange parte do litoral brasileiro – Nordeste e Sudeste
- As duas principais estações são verão (chuvoso) e inverno (menos chuvoso), com elevadas temperaturas ao longo de todo o ano;
- Apresenta médias anuais de temperatura entre 18°C e 26°C;
- Apresenta índices pluviométricos superiores a 1 300 mm anuais.
- É um clima quente e úmido;
- Neste clima ocorrem os bioma Costeiro e da Mata Atlântica;

CLIMA TROPICAL OU TROPICALCONTINENTAL

- As temperaturas médias são superiores a 20°C.
- O índice médio anual de chuvas é elevado, entre 1 000 e 1500 mm anuais;
 - Este clima abrange os estados de MG,GO, parte de SP, MS, MT, PR, MA, PI, CE e o TO.
- É O clima mais representativo do Brasil, por isso chamado de tropical típico. Abrange áreas das regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte e Sudeste. A existência de duas estações bem definidas:

- Verão: estação chuvosa, provocada pela massa de ar equatorial continental (mEc) e pela massa tro­pical atlântica (mTa).

- Inverno: estação seca

- No inverno a mEc se re­trai, deixando espaço para a atuação de outras mas­sas de ar como a massa de ar polar atlântica (mPa) e a tropical conti­nental (mTc).

- A mPa aproveita o corredor formado pelas terras mais baixas da região Centro-Oeste e atinge a porção sul da Amazônia, quando a tempe­ratura pode chegar a 10Cº (fenômeno da friagem).

- Amplitudes térmicas anuais elevadas devido à in­fluência da continentalidade.

CLIMA SUBTROPICAL ÚMIDO
- O clima subtropical úmido é típico do sul do Brasil, onde existe a ocorrência de fortes chuvas.
- No inverno, a massa de ar polar atlântica é muito ativa, dando origem às chuvas frontais com precipitações, devido ao encontro da massa de ar quente com a massa de ar frio.
- O índice médio anual de chuvas é elevado, entre 1 500 e 2000 mm anuais;
- As chuvas são bem distribuídas durante todo o ano.
- As temperaturas médias ficam em torno de 18°C. 
Os campos sulinos, a mata de araucárias e parte da mata atlântica ocorrem em área de clima subtropical úmido.

VEGETAÇÃO – BIOMAS DO BRASIL.

Bioma da Amazônia, Bioma da Caatinga, Bioma da Mata Atlântica, Bioma do Pantanal, Bioma do Pampa/Campos sulino e Bioma do Cerrado.

BIOMA DA AMAZÔNIA
- Apresenta uma das maiores diversidades biológicas do mundo;
- Apresenta grande biodiversidade  animal e vegetal;
- A riqueza natural desse bioma está em constante ameaça.
- As florestas vivem do seu próprio material orgânico, isto é, das folhas, frutos, sementes e animais que caem no solo e se decompõem, em meio a um ambiente úmido, com chuvas abundantes.
- À primeira vista, o solo parece bastante fértil, devido à grande quantidade de matéria orgânica presente na camada superficial dele;
- À medida que a profundidade do solo aumenta, percebe-se que ele é pouco fértil, raso e arenoso.
- Significa um solo pobre e impróprio para a agricultura.
- Um grave problema é que, nas últimas décadas, o desmatamento, as queimadas, a conversão de terras para a agricultura e a pecuária e os novos assentamentos  são feitos em áreas preservadas.
- Ainda apresenta os problemas mais antigos -  a mineração clandestina e os grandes projetos de mineração do governo, como o Grande Carajás.
- O Projeto Grande Carajás teve início no final da década de 60 do século XX e marcou a exploração mineral no país. O principal mineral explorado na região é o ferro.
- Este bioma também vem sofrendo com a biopirataria.

BIOMA DA CAATINGA
- O bioma da  Caatinga possui espécies arbóreas, arbustivas e herbáceas.
- É uma vegetação totalmente adaptada ao clima seco, pois suas folhas, em geral, são muito finas e  possui espinhos, no lugar de folhas;
- Outras vegetações ainda possuem raízes praticamente na superfície  com o objetivo de absorver o máximo de água das chuvas.
- Essas adaptações permitem às espécies vegetais sobreviverem à pouca umidade da região. São exemplos de cactáceas, xiquexique e o mandacaru.
- Ocorrem as chamadas "ilhas de umidade" ou BREJOS com a presença de solos férteis.
- Nos brejos é possível o cultivo de frutas tropicais. Em geral, essas áreas estão localizadas próximo às serras, onde as chuvas são mais frequentes
- A construção de açudes sem o emprego de técnicas adequadas a esse tipo de solo.
- A construção ocorrem em pequenas áreas, preferencialmente fechadas fato que impede a evaporação da água e a absorção da água pelo solo.
- A água que é absorvida pelo solo  seca, aumentando a concentração de sal provocando a salinização do solo isso dificulta ainda mais a atividade agrícola na região.
- Durante a época das chuvas na Caatinga o sertanejo aproveita para encherem suas cisternas que são caixas de concreto, fechadas e de tamanho variado, que garante  durante o período da estiagem a água necessária para seu uso.
- Muitos agricultores contaminam as águas dos poucos rios e lagos, por causa do uso desordenado de agrotóxicos;
- Essa área sofre intenso processo de desertificação.
- As alterações nesse ambiente é resultado tanto da ação humana, quanto da natureza, pela falta de chuvas na região.

BIOMA DA MATA ATLÂNTICA
- Tem aproximadamente 90% de sua área já  devastado.
- A exploração da Mata Atlântica vem ocorrendo desde o Período Colonial.
- Abrange a maior parte do litoral do país, do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte.
- Atualmente, está reduzida a poucos fragmentos, na sua maioria descontínua.
-  Apresenta a maior biodiversidade do seu ecossistema é uma das maiores do planeta.
- A Mata Atlântica foi derrubada para ceder espaço para os centros urbanos, industriais e áreas para o cultivo e criação de animais, sem levar em conta a retirada de espécies que possuíam e ainda possuem valor econômico, como o pau-brasil, o ingá, o palmito juçara.
- 70% da população brasileira está concentrada em áreas de Mata Atlântica ou próxima a ela.
- Muito importante para o equilíbrio ecológico da Mata Atlântica brasileira, a palmeira juçara é muito explorada pelo extrativismo predatório.

BIOMA COSTEIRO
- O Bioma Costeiro é pouco conhecido, mas de grande importância para o ambiente brasileiro da costa brasileira possui inúmeros ecossistemas.
- Neste bioma encontra-se os manguezais, restingas, dunas, praias, ilhas, baías, brejos, falésias, estuários, recifes de corais;

BIOMA DO CERRADO
- No Cerrado, a vegetação herbácea se mistura com várias espécies de árvores e arbustos;
- O solo possui baixa fertilidade natural, pois apresenta pouca disponibilidade de nutrientes
- Apresenta alta concentração de alumínio e ferro.
- Atualmente restam apenas 20% da vegetação nativa na região.
- A devastação do cerrado está associada:
- Interiorização da capital (Brasília);
- Abertura de uma nova rede rodoviária, para ligar essa região ao Norte e ao Sudeste do país;
- Intensificação da atividade agropecuária na região, marcada pelo cultivo da soja, do arroz e do trigo, além da criação extensiva de gado.
- Os desmatamentos, queimadas, o uso de fertilizantes químicos e agrotóxicos, o aparecimento de voçorocas, assoreamento e envenenamento do ecossistema são problemas ambientais muito sérios do cerrado.

CAMPOS SULINOS
- Os Campos Sulinos, também chamados de Pampas;
- Caracterizam-se por uma extensa região plana de vegetação aberta e de pequeno porte (herbácea) que se estende do Rio Grande do Sul até as fronteiras com a Argentina e o Uruguai.
- Apresenta um clima com temperaturas mais baixas e solo fértil, nessa área predomina a atividade agropastoril ou agropecuária;
- O uso de técnicas modernas, com sementes selecionadas, fertilizantes, adubos e máquinas, proporciona uma produtividade elevada;
- Principais culturas são: trigo, soja, arroz e tabaco.
- O uso inadequado do solo na agricultura e pecuária extensiva tem provocado o aparecimento de áreas de arenização ao longo de todo o Rio Grande do Sul.
- Várias espécies, como o junco, os gravatás e os pinheirais, praticamente desapareceram da região, para cederem espaço para a agricultura e a criação de gados bovino e ovino.

MATA DE ARAUCÁRIAS
- A Mata de Araucárias, localizada em zona de transição dos Campos Sulinos;
- Já ocupou cerca de 15% do território brasileiro.
- Hoje, ela está bastante devastada, por se encontrar em área de grande desenvolvimento agrícola e industrial;
- A araucária, também conhecida como pinheiro-do-paraná;
- O pinheiro-do-paraná sofreu muito com os cortesou desmatamento feito pela indústria madeireira.
- Ainda ocorrem áreas dessamata nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
- Muitas espécies desta floresta, tais como: a samambaia-xaxim, a gralha-azul ou a jacutinga, estão à beira da extinção.



OS TIGRES ASIÁTICOS - CAPITULO 9