terça-feira, 13 de dezembro de 2016

CLIMA GERAL E DO BRASIL


CLIMA

CLIMOGRAMA: É o gráficos que representam a variação da quantidade de chuvas e a variação da temperatura no período de 1 ano. Um climograma representa as temperaturas (em graus) e as precipitações (chuvas em mm) para cada mês do ano;
DIFERENCIE TEMPO E CLIMA:
Tempo: É a ação momentânea da atmosfera em um determinado lugar por um certo período. 
Clima: É a Sucessão habitual dos tipos de tempo

OS TIPOS DE CLIMA E AS MASSAS DE AR QUE ATUAM NO BRASIL:
Climas: 

Equatorial Úmido;
Tropical Semi-árido;
Tropical Litorâneo Úmido, 
Subtropical Úmido;
Tropical ou Tropical Continental;
Tropical de Altitude.

Massas de Ar: 

mPa: Massa de ar polar Atlântica
Esta massa de ar é fria e úmida, nasce na Patagônia próximo da Antártida e age principalmente na região Sul do Brasil durante o inverno.

mTc: Massa de ar tropical Continental
Esta massa de ar é quente e seca e nasce na região do Chaco, fronteira entre ParaguaiBolivia,Argentina e Brasil ( sul do Pantanal).

mTa: Massa de ar tropical Atlântica
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce sobre o Oceano Atlântico e influencia o litoral e no interior brasileiro.

mEa: Massa de ar equatorial Atlântica
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce sobre o Oceano Atlântico Norte, age sobre o litoral da Amazônia e do estado do Maranhão.

mEc: Massa de ar Equatorial Continental.
Esta massa de ar é quente e úmida e nasce no sul da Amazônia e durante o verão atua em grande parte do território brasileiro.

AMPLITUDE TÉRMICA: É a diferença entre a maior temperatura e a menor temperatura em um período e pode ser  em um dia, uma semana, um mês, etc.

ÍNDICE PLUVIOMÉTRICO: Este índice também é chamado de pluviosidade e mede a quantidade de chuva (precipitação) que cai em uma área em certo período.

MOTIVOS QUE PROMOVEM A VARIEDADE CLIMÁTICA DO BRASIL:
- O extenso território;
- Diversidade de formas de relevo, 
- A altitude e a dinâmica das correntes e massas de ar;
- O Brasil é cortado pela Linha do Equador (Norte) e o Trópico de Capricórnio (Sul);
- Está situada, a maior parte do território, na Zona Intertropical, onde predominam climas quentes e úmidos, com temperaturas médias em torno de 20°C;

O CLIMA EQUATORIAL:
- Este clima é úmido e apresenta temperaturas elevadas; 
- A grande umidade promove a grande quantidade de rios caudalosos nesta região;
- Há ocorrência da evapotranspiração da cobertura florestal amazônica, isto é, a transpiração da vegetação;
- É um clima úmido e quente é marcada pela baixa  amplitude térmica;
- As médias anuais da temperatura variam entre 24°C e 27°C;
-  As médias pluviométricas são altas superiores a 2 500 mm anuais;
- A estação seca é curta;
- É uma região de calmaria, devido ao encontro dos alísios do Hemisfério Norte com os do Sul;
- O principal tipo de chuvas é o de convecção. 

CLIMA TROPICAL SEMIÁRIDO
- As temperaturas médias são superiores a 20°C. 
- A principal característica desse tipo de clima é a baixa pluviosidade;
- As médias pluviométricas anuais são inferiores a 1 000 mm. 
- O clima tropical semiárido abrange o Sertão Nordestino, área de ocorrência do bioma da Caatinga nos estados do CE, parte do RN, PB, PE, SE. AL, BA, sul e leste do PI e extremo norte de MG.
-  Os solos dessa área são rasos e pedregosos. 

CLIMA TROPICAL LITORÂNEO ÚMIDO
- Abrange parte do litoral brasileiro – Nordeste e Sudeste
- As duas principais estações são verão (chuvoso) e inverno (menos chuvoso), com elevadas temperaturas ao longo de todo o ano;
- Apresenta médias anuais de temperatura entre 18°C e 26°C;
- Apresenta índices pluviométricos superiores a 1 300 mm anuais. 
- É um clima quente e úmido; 
- Neste clima ocorrem os bioma Costeiro e da Mata Atlântica;

CLIMA TROPICAL OU TROPICALCONTINENTAL 

- As temperaturas médias são superiores a 20°C. 
- O índice médio anual de chuvas é elevado, entre 1 000 e 1500 mm anuais;
 - Este clima abrange os estados de MG,GO, parte de SP, MS, MT, PR, MA, PI, CE e o TO. 
- É O clima mais representativo do Brasil, por isso chamado de tropical típico. Abrange áreas das regiões Centro-Oeste, Nordeste, Norte e Sudeste. A existência de duas estações bem definidas: 

- Verão: estação chuvosa, provocada pela massa de ar equatorial continental (mEc) e pela massa tro­pical atlântica (mTa). 

- Inverno: estação seca

- No inverno a mEc se re­trai, deixando espaço para a atuação de outras mas­sas de ar como a massa de ar polar atlântica (mPa) e a tropical conti­nental (mTc). 

- A mPa aproveita o corredor formado pelas terras mais baixas da região Centro-Oeste e atinge a porção sul da Amazônia, quando a tempe­ratura pode chegar a 10Cº (fenômeno da friagem).

- Amplitudes térmicas anuais elevadas devido à in­fluência da continentalidade.

CLIMA SUBTROPICAL ÚMIDO
- O clima subtropical úmido é típico do sul do Brasil, onde existe a ocorrência de fortes chuvas. 
- No inverno, a massa de ar polar atlântica é muito ativa, dando origem às chuvas frontais com precipitações, devido ao encontro da massa de ar quente com a massa de ar frio.
- O índice médio anual de chuvas é elevado, entre 1 500 e 2000 mm anuais;
- As chuvas são bem distribuídas durante todo o ano. 
- As temperaturas médias ficam em torno de 18°C.  

Os campos sulinos, a mata de araucárias e parte da mata atlântica ocorrem em área de clima subtropical úmido.

QUESTÕES SOBRE CLIMA
01. Sobre os efeitos de maritimidade e continentalidade é correto afirmar:
a) As áreas continentais aquecem-se mais rapidamente que as áreas oceânicas, resultando na diferença de temperatura e pressão e, consequentemente, na circulação dos ventos que transportam as massas de ar.
b) A amplitude térmica das áreas continentais é menor que nas áreas costeiras. Isso ocorre porque nas áreas continentais a umidade do ar é menor, contribuindo para a grande variação de temperatura ao longo do dia.
c) O aumento da umidade do ar nas áreas continentais é a principal consequência do efeito da continentalidade.
d) Com o efeito da maritimidade, as águas superficiais do oceano mantêm-se frias, fator que contribui para a diminuição da umidade e da ocorrência de chuvas nas áreas costeiras.
e) A maritimidade e a continentalidade não afetam o clima de determinado local, uma vez que a circulação das massas de ar é influenciada apenas pelos grandes centros de alta e de baixa pressão do planeta.
02. Dê o conceito de:
a) Atmosfera      
b) Efeito estufa      
c)  Aquecimento Global     
d) Pressão Atmosférica   
e)  Zona de Baixa Pressão
f) Zona de Alta Pressão   
g) Ventos de Oeste    
h) Amplitude Térmica   
i)  Gradiente Térmico

03. no planeta há ocorrência de diversos tipos de chuva. Sendo assim explique:
A) Chuva Frontal                        
b) Chuva Orográfica                    
c) Chuva Convectiva ou de Convecção

04. Nos temos no planetas vários tipos de ventos que circula ao longo de diversas áreas especificas de forma planetária, considerando essa dinâmica explique:

a) Ventos de Monções        
b) Ventos Alísios 

06. Diferencie Tempo e Clima.

07. Cite e explique os elementos e fatores que influem no clima.

08. Sobre as características gerais do tempo e do clima, é correto afirmar:
a) As condições meteorológicas de determinado local apresentam poucas variações durante o dia, pois as rápidas alterações na umidade e na temperatura não afetam a dinâmica atmosférica.
b) As previsões do tempo são realizadas automaticamente por satélites de monitoramento meteorológico.
c) As variações diárias do tempo resultam do impacto da energia eletromagnética proveniente do Sol que é atraída pelo campo magnético da Terra.
d) Os comportamentos das condições atmosféricas ao longo do ano estão associadas apenas à latitude do local.
e) A latitude, altitude, maritimidade e a continentalidade são alguns dos fatores responsáveis pelas características do clima.

09. Sobre os princípios básicos da climatologia, analise as afirmativas a seguir.
I. Fenômenos meteorológicos diários, como alterações na temperatura e precipitação em determinado local, são definidos como tempo.
II. Clima é conceituado como fenômenos meteorológicos instantâneos que ocorrem em determinado local.
III. Para definir o clima é necessário o estudo das sucessões de tempos, empíricos ou por dados coletados, de um período de aproximadamente trinta anos.
IV. A climatologia é a ciência responsável em coletar dados matemáticos, físicos e estatísticos que servirão como base somente para prever as condições momentâneas do tempo.
V. O comportamento e as características da atmosfera são estáticos, resultando em pouca variação do tempo ao longo do dia ou da semana.
As afirmativas corretas são:
a) I e II                           
b) I e III                              
c) II e III                                
d) II e IV                      
e) III e V
  
10. Considerando a distribuição da temperatura ao longo da superfície terrestre, qual alternativa está errada?
As cidades localizadas nas zonas de baixas latitudes apresentam, de forma geral, amplitude térmica menor.
b) A zona intertropical representa uma área com predomínio de temperaturas amenas devido a sua menor exposição à radiação.
c) Cidades localizadas no centro de grandes áreas continentais, apresentam maior amplitude térmica se comparado a cidades de mesma latitude, em áreas litorâneas.
d) Localidades próximas podem apresentar diferenças importantes na temperatura se estiverem em altitudes diferentes.
e) As zonas de altas latitudes representam as áreas mais frias do Planeta.





quarta-feira, 2 de novembro de 2016

ATUALIDADE OPÇÃO ENEM 2016



























BREXIT


Veja 13 perguntas e respostas sobre a possível saída do Reino Unido da EU Britânicos devem decidir se ficam no bloco em referendo no dia 23. Saída teria consequências políticas e econômicas para a região. Karina Trevizan

REFERENDO NO REINO UNIDO

'Perigos' da Brexit

No próximo dia 23, os britânicos devem ir às urnas em um referendo para dizer se querem ou não permanecer na União Europeia. Motivo de divergência entre lideranças políticas na região, a questão também tem dividido a população, como mostram pesquisas de intenção de votos antes do referendo. De um lado estão os pró-saída, que acham que o Reino Unido perde soberania estando submetido às regras do bloco econômico, com poucas compensações. De outro, os que acreditam que a aliança com os países vizinhos torna a região mais poderosa.


1. O que é a União Europeia?

É uma união econômica e política formada por 28 países europeus, criada logo após a 2ª Guerra Mundial. O bloco funciona como um mercado único, com livre circulação de pessoas, bens, serviços e capitais. Dentre esses países, 19 compartilham a moeda única – o euro. O Reino Unido não é um deles.
Países que formam o Reino Unido
Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte, País de Gales

 2. O que é o termo 'Brexit’?

É o como passou a ser chamada a possibilidade de o Reino Unido deixar a União Europeia. A palavra é formada pela união de “Grã-Bretanha” (ilha onde ficam Inglaterra, Escócia e País de Gales) e “exit”, que significa saída em inglês. O termo se assemelha a “Grexit”, que começou a ser usado no ano passado durante impasse sobre da dívida da Grécia, que gerou dúvidas sobre a permanência do país no bloco.

3. Quem pode sair da União Europeia é o Reino Unido ou apenas a Grã-Bretanha?

O Reino Unido. Apesar da popularidade do termo “Brexit”, a possibilidade de saída do bloco envolve não apenas a Grã-Bretanha, mas todo o Reino Unido (que inclui os países da Grã-Bretanha e também a Irlanda do Norte).

4. Quando o Reino Unido começou a fazer parte da União Europeia?

Em janeiro de 1973. A região, porém, não faz parte da zona do euro, e continua usando a libra esterlina como moeda oficial.

5. Esta é a primeira vez que o Reino Unido ameaça deixar o bloco?

Não. Em 1975, houve um referendo muito parecido com o de agora para que a população escolhesse entre sair ou continuar na União Europeia. Venceu a permanência no bloco, com 67% dos votos.

6. Como é a participação do Reino Unido no bloco?

O Reino Unido tem 73 lugares no Parlamento Europeu. Exerceu a presidência do conselho da UE cinco vezes entre 1977 e 2005. A próxima, se o país permanecer no bloco, será em 2017. Assim como os outros países do bloco, o Reino Unido também faz contribuições financeiras à União Europeia. A quantia total arrecadada entre todos os países-membros é repartida de forma equitativa.

7. Um dos argumentos dos britânicos que são a favor da saída do bloco é de que o Reino Unido mais contribui com a UE do que recebe recursos. Isso é verdade?

Sim. Os fundos pagos pelo Reino Unido para o orçamento europeu contribuem para financiar programas e projetos em todos os países da UE. O Reino Unido também tem projetos financiados por fundos estruturais e de investimento do bloco.
No entanto, a soma da contribuição britânica com a UE é maior do que os gastos do bloco com o Reino Unido. Segundo dados da própria União Europeia, em 2014 o Reino Unido contribuiu com € 11,3 bilhões à UE, o que corresponde a 0,52% de seu rendimento nacional bruto. Em contrapartida, as despesas do bloco com o país foram de € 6,9 bilhões, ou 0,32% do rendimento bruto.

A saída do Reino Unido teria o efeito de uma verdadeira caixa de Pandora para Europa. Pode haver um problema grave com relação ao ressurgimento desses nacionalismos"
Marcus Vinicius de Freitas, professor da FAAP
O professor Otto Nogami, do MBA do Insper, aponta os prejuízos internos sofridos pelo Reino Unido graças a esse “desequilíbrio monetário”, com mais saída que entrada de dinheiro no país. “Isso acaba criando uma pressão inflacionária maior, domesticamente falando”, diz.

8. Como a saída afetaria a organização da economia britânica?

Não é possível dizer com certeza como ficaria a economia britânica fora da União Europeia, embora o ministro das Finanças britânico, George Osborne, afirme que a saída do bloco implicaria em uma perda de confiança nas finanças públicas caso não seja aprovado um orçamento emergencial em seguida. "
Haverá um grande buraco nas finanças públicas, e teríamos que aumentar impostos e cortar gastos", disse Osborne a jornalistas no dia 15 de junho. "A única coisa pior que não aprovar um orçamento como este é lidar com a queda livre econômica ou a perda completa de confiança na habilidade do país de administrar seu dinheiro."
O professor do curso de Relações Internacionais da FAAP Marcus Vinicius de Freitas lembra, no entanto, que o desejo de reorganização da economia pode ser justamente o fator que motiva muitos britânicos a votarem pela saída do bloco. “Existem regras da União Europeia com relação ao sistema financeiro, bancário, administração das finanças públicas. O que os britânicos questionam é que o projeto da UE não é o que eles ambicionam, ” diz o especialista.

9. Como uma eventual saída afetaria as relações comerciais do Reino Unido com países da União Europeia?

A participação na União Europeia permite que os países comprem e vendam produtos e serviços entre si sem a aplicação de taxas e impostos dentro da área comum.  O Reino Unido então passaria a ter taxas diferentes no comércio exterior com os países europeus em relação às praticadas agora, podendo inclusive trocar de parceiros.
“Na UE, o que se formou foi uma união aduaneira, além de ser uma área de livre comércio e também de união tarifária em termos de comércio internacional. Isso fez com que a Inglaterra, que era importadora de carne da Austrália, por exemplo, fosse obrigada a renunciar e passar a importar do continente. Isso são os acordos comerciais, se permite o livre comércio entre os integrantes em detrimento de outros países”, explica Nogami.
O Brasil se beneficiaria eventualmente, porque poderia exportar para os britânicos produtos que sofrem algum impedimento na entrada na União Europeia"

Otto Nogami, professor do Insper

“Nesse sentido, com a saída, a Inglaterra pode ter condições comerciais melhores que com seus parceiros do continente europeu. Já para a União Europeia, acaba representando ônus”, diz o professor.

10. Como ficariam as relações comerciais com outros países, incluindo o Brasil?

As negociações com países fora do bloco se tornariam mais livres, como pontua Marcus Vinicius de Freitas. “O projeto europeu não está favorecendo os britânicos em suas relações com outros países. Com uma eventual saída, eles devem adotar uma postura mais livres nas negociações com outros países, como o Brasil.”
“O Brasil se beneficiaria eventualmente, porque agora poderia exportar para os britânicos produtos primários que sofrem algum tipo de impedimento na entrada na União Europeia. A negociação passa a ser bilateral simples, com um único país”, complementa Otto Nogami.
Segundo a União Europeia, o Reino Unido exporta principalmente para os EUA, a Alemanha e os Países Baixos. Por sua vez, as suas importações vêm sobretudo da Alemanha, da China e dos EUA.

11. Como a “Brexit” pode afetar o acordo entre União Europeia e Mercosul?

Freitas considera que um impasse com a saída de um membro importante do bloco retardaria ainda mais as negociações de um acordo de comércio entre União Europeia e Mercosul. “A questão entra num compasso de espera ainda maior. Entre negociar um novo acordo e resolver um problema interno, claro que a prioridade da Europa passa a ser negociar o ‘Brexit’ neste momento.” Já Nogami afirma que as dificuldades devem seguir inalteradas. “A pendência continua da mesma maneira, porque o grande entrave nessa relação comercial é a França.”

12. Quais seriam as consequências políticas da “Brexit” para a União Europeia?

“A saída do Reino Unido teria o efeito de uma verdadeira caixa de Pandora para Europa 
por algumas razões. Em primeiro lugar você tem a preocupação com relação àqueles países que a gente chama de ‘nações sem Estados’, como a Escócia, que pode e querer fazer parte ainda da UE e querer se separar do Reino Unido”, diz Marcus Vinicius de Freitas. "Pode haver um problema grave com relação ao ressurgimento desses nacionalismos." O professor aponta ainda que a saída seria um “retrocesso no projeto de integração da União Europeia”. Fonte: União Europeia
“A Escócia há séculos briga pela sua independência. Temos também o caso da Irlanda, que utiliza o euro e não sabemos como vai se posicionar. Fica uma situação um tanto quanto delicada”, complementa Nogami.

13. Quais seriam as consequências econômicas para o bloco?

O professor Otto Nogami afirma que uma eventual saída do Reino Unido do bloco significa a extinção de uma das bases do tripé no qual está apoiada a União Europeia.
“Toda a estrutura da UE está baseada na Alemanha, França e Reino Unido. Na medida em que se tira um deles, a estrutura fica capenga. São as três economias mais fortes e representativas, e tirar uma delas pode desestabilizar a economia da União Europeia. Todo o peso acaba recaindo sobre a Alemanha, porque hoje a França está totalmente desestabilizada. O que não se sabe é até que ponto a Alemanha teria condições de carregar todo o continente nas costas, economicamente falando."


Fonte:http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/06/veja-13-perguntas-e-respostas-sobre-possivel-saida-do-reino-unido-da-ue.html







9º ANO ROTEIRO QUESTÕES CAP. 11